Cambra é uma terra antiga, integrada na região de Lafões que já durante a Idade Média constituía uma unidade perfeitamente definida; e, em meados do século XIII, Cambra já era uma paróquia do concelho de Vouzela (“referida nas Inquirições como villa de Cambra). Aqui tinham bens na primeira metade do século XII o franco Rabaldo e seus filhos. Por isso, os jurados das Inquirições de 1258 afirmam que Cambra fora e era então de cavaleiros por avoenga. O mesmo dizem para (outras villae, hoje simples lugares da fr. de Cambra) Caveirós (já então duas aldeias, pois se referem ambas Caaveyros),Confulcos (então designada Consulques), Corujeira, Mogueirães, Paredes Vehas (onde, além de cavaleiros, aí tinham bens o mosteiro de S. João de Tarouca), Pés de Ponte, Santa Comba (onde também tinha bens o mosteiro de Santa Cruz, testados por Pero Preres de Cambra ao tempo de Sancho I), Tourelhe (onde também tinham bens os mosteiros de Santa Cruz e de Pedroso)”.

Terra antiga, portanto, e inserida numa paisagem de rara beleza – o espaço envolvente em que directamente se desenvolveu a actividade do homem ao longo dos séculos, e onde se forjaram certos caracteres sócio-culturais específicos que ainda se conservam pelo peso das tradições herdadas e a persistência de um espírito comunitário e de entre-ajuda, em que se destacam diversas instituições culturais, como a Filarmónica Verdi Cambrense, fundada em 1883, com funcionamento ininterrupto desde então (e que hoje envolve a participação de muitas dezenas de pessoas, sobretudo jovens, com uma Banda Filarmónica de excelente nível artístico, e Escolas de Música); a Associação Cultural e Recreativa de Cambra, fundada em 1975, que desenvolve a prática desportiva dos jovens cambrenses, particularmente no atletismo, e mantém em funcionamento um também excelente Grupo de Trajes e Cantares, particularmente vocacionado para a recolha e divulgação da música tradicional; ainda no âmbito do associativismo musical, a Associação de Levides, na povoação de Levides, e a APAVE, na povoação de Paredes Velhas – ambas com excelentes grupos etnográficos; também – como instituição mais antiga de todas – a Paróquia de Cambra, que centraliza e coordena a vivência religiosa da comunidade local, e que tem como seu “ex-libris” a Igreja Matriz, um magnífico edifício do Século XVIII, estilo barroco, com valiosas pinturas nos tectos interiores e altares com talhas e esculturas de madeira (que está actualmente a ser beneficiado com obras de restauro);

e, por fim, na área social, como mais recente das instituições da freguesia, o Centro Social de Cambra, que é o objecto específico da presente nota informativa, nos termos seguintes.

Informações

Assembleia Geral - 25-11-2018

(clique para obter mais informações)
Go to top
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com